Comando Geral da Polícia diz só ter alvejado mortalmente uma pessoa em Chiúre

O Comando Geral da Polícia nega que tenha alvejado mortalmente 4 cidadãos no dia 12 deste mês, horas depois do encerramento das urnas para as sextas eleições autárquicas no município de Chiúre em Cabo Delgado, norte do país.

Comando Geral da Polícia diz só ter alvejado mortalmente uma pessoa em Chiúre

Mas admite, no entanto, a morte acidental de um jovem de 19 anos de idade no dia 12 deste mês de Outubro, horas depois da ida às urnas para as sextas eleições autárquicas.

 

“Quando a polícia da República de Moçambique viu se na contingência de actuar para pôr termo a um grave motim protagonizado por membros e simpatizantes de partidos políticos”, começou por justificar o porta-voz do comando da polícia, Orlando Mudumane.

 

“A polícia tem dado o devido acompanhamento a este caso, junto da família da vítima e irá accionar todos os mecanismos legais apropriados para exigir a prova dos factos que são falsos e dolorosamente imputados à corporação”, acrescentou.

 

Esta reacção da polícia surge em resposta à denúncia de Samora Machel Júnior, filho do primeiro Presidente de Moçambique Independente, que em carta aberta não só denunciou como criticou a actuação dos membros da corporação.

 

As declarações atribuídas a Samora Machel Júnior em carta aberta são agora desmentidas pela polícia, pela voz do porta-voz do Comando Geral, Orlando Mudumane:

 

“A PRM lamenta, desmente e condena veementemente a posta a circular nas redes sociais e posteriormente difundida por alguns órgãos de comunicação social, dando conta que a PRM teria alvejado mortalmente 4 indivíduos no distrito de Chiúre, província de Cabo Delgado”, frisou.

TORRE