Empresário raptado nas "barbas" do quartel que cuida da segurança do Presidente da República

Mais um empresário de origem asiática, conhecido como Cláudio Dharmendra, foi raptado na manhã de ontem, no estabelecimento comercial, ao longo da Rua Samuel da Bula

Empresário raptado nas "barbas" do quartel que cuida da segurança do Presidente da República

O curioso, porém, é que o crime acontece a poucos metros da Casa Militar, quartel responsável pela guarda do Presidente da República, Filipe Nyusi.

 

Segundo declarações de fontes locais, o crime aconteceu quando o empresário abria o seu estabelecimento, quando foi seguido por dois homens que o levaram à uma viatura que, depois, colocou-se em fuga. 

 

“Ele estava a abrir o seu estabelecimento, quando dois homens se aproximaram e apontaram uma arma. Sem fazer barulho, levaram-no para uma viatura, que estava estacionada ali na porta quase e que, posteriormente, saiu em sentido oposto ao quartel”, declarou uma fonte que vive na mesma rua em que crime ocorreu.

 

Segundo a fonte, no local, estavam também funcionários do estabelecimento, que foram intimidados pelos raptores quando tentaram reagir.

 

“Eu pensei que fossem clientes, mas não eram (…) Eles levaram-no e ele não gritou (…)”, explicou um segurança do estabelecimento que os viu abandonarem o local com vítima, citado pela imprensa local.

 

A Polícia da República de Moçambique (PRM), ainda não se pronunciou sobre o assunto.

 

Refira-se que este é o segundo rapto registado este ano na cidade de Maputo, num universo de três, mas um sem sucesso.

 

Em 20 de Janeiro, um empresário foi raptado na capital por um grupo de homens armados, dois dos quais já detidos, mas a vítima “continua em cativeiro”, segundo os últimos dados avançados pela polícia.