Governo diz quer ajudar gestores da LAM a seguirem no caminho correcto

O primeiro-ministro, Adriano Maleiane, diz que o Governo quer "ajudar" os gestores da transportadora Linhas Aéreas de Moçambique  (LAM) a encontrarem "o caminho correto", depois de revelados alegados desvios e actos de sabotagem interna.

Governo diz quer ajudar gestores da LAM a seguirem no caminho correcto

"Se a regra de gestão foi violada, isto tem de ser corrigido, e há instrumentos legais, financeiros, para a resolução do problema. Todos os problemas na gestão vão surgindo, infelizmente. O importante é termos solução, para não termos problemas que temos e, se de facto existir alguma má intenção nesse processo, então temos as instituições que tratam desse problema", disse Maleiane, questionado pelos jornalistas, no domingo.

 

"Temos de ajudar a empresa e os gestores a encontrarem o caminho correto", acrescentou.


O director de restruturação das LAM denunciou em 12 de Fevereiro um esquema de desvio de dinheiro em lojas de venda de bilhetes, através de máquinas dos terminais de pagamento automático (TPA/POS) que não são da companhia.

 

"Fizemos um trabalho relâmpago com a segurança interna da LAM de recolher todos os POS e, dos 20 pontos de venda de bilhetes da LAM, recolhemos, até domingo, 81 POS. Há algumas lojas onde os próprios chefes dos estabelecimentos não reconhecem as máquinas e dizem não saber sequer a quem pertencem", declarou Sérgio Matos.

 

A LAM está num processo de revitalização, com a empresa sul-africana Fly Modern Ark encarregue da gestão desde Abril do ano passado, com um plano de restruturação em curso.

 

A estratégia de revitalização da empresa segue-se a anos de problemas operacionais relacionados com uma frota reduzida e falta de investimentos, com registo de alguns incidentes, não fatais, associados por especialistas à deficiente manutenção das aeronaves.